Goma Guar.




 


Goma Guar.

 

O que é a goma guar e quais as suas propriedades?



Também conhecida como goma aguar, goma de guar, farinha de guar, guar, gum-guar e guar-gum, a goma guar é uma galactomanana, um tipo de polissacarídeo que pertence à classe das fibras solúveis.


Fibras não são absorvidas pelo organismo, no caso das fibras solúveis como a goma guar, elas passam intactas pelo estômago e intestino delgado e são fermentadas pelas bactérias da flora do intestino grosso.


A principal propriedade da goma guar é a sua capacidade de formar um gel viscoso quando em contato com a água, e essa é a finalidade de seu uso em uma série de tipos de produtos.


Mesmo em pequenas concentrações (1 a 2%) a goma guar já forma gel na água, cuja viscosidade quase não é afetada pela variação de pH da solução.


A formação do gel se dá pelas ligações químicas cruzadas envolvendo unidades dos sacarídeos galactose e manose, isso leva à formação de uma rede polimérica que aprisiona água no seu interior, se expandindo.


Utilizada nas indústrias de alimentos e bebidas, farmacêuticas, alimentação animal, nutrição humana, cosméticos, papel e até explosivos.


A goma guar é utilizada como agente espessante para dar viscosidade, estabilizante, agente de suspensão, garantindo que outros componentes da fórmula fiquem adequadamente dispersos, entre outras finalidades.



Gostou desse conteúdo? deixe seu like e comente suas dúvidas e sugestões!



Atias Química Matriz

Rua da Consolação, 293 2º andar - Centro
CEP- 01301-000 São Paulo – SP

Central de Atendimento - (11)3122-3222

Acesse nosso site para saber mais – http://atias.com.br



0 comentários:

Silicato de Sódio.





Silicato de Sódio.

SILICATO DE SÓDIO - Também conhecido como "vidro solúvel", o Silicato de Sódio é o resultado da reação entre vidro (areia) com Barrilha Leve à uma temperatura muito alta ou processos modernos via líquida.

Essa substância também é muito presente no nosso dia-a-dia; utilizada desde a fabricação de fertilizantes (pois as gramíneas necessitam silício iônico); passando por suas aplicações industriais... é utilizado nos detergentes para aumentar o poder de detergência e melhorar a espuma, utilizado no branqueamento de fibras nas indústrias de papel e tecidos, na construção civil é usado na fabricação de pisos industriais, tintas, cimento, argamassas, e muitos outros produtos desse mercado; Agente emulsificador, ou seja, utilizado para o produto ficar sempre com a mesma aparência e não formar 2 ou mais fases ao ser aberto; ajuda na de floculação da sujeira e partículas em suspensão, sequestra íons de cálcio e magnésio presentes na água; adicionado na fabricação de vidros e cerâmicas; utilizado também na fabricação de cosméticos como pó descolorante e maquiagens secas.

  
Gostou desse conteúdo? deixe seu like e comente suas dúvidas e sugestões!



Atias Química Matriz

Rua da Consolação, 293 2º andar - Centro
CEP- 01301-000 São Paulo – SP

Central de Atendimento - (11)3122-3222

Acesse nosso site para saber mais – http://atias.com.br

0 comentários:

Vanilina e Etilvanilina.



#AtiasQuímica
#VanilinaeEtilvanilina


Vanilina e Etilvanilina.


Vanilina:
"Sabe aquele gostinho de baunilha daquele panetone, sorvete ou doce que você gosta?

A substâncias responsável por este aroma é a Vanilina; extraída de uma orquídea de origem mexicana, a baunilha.


As principais aplicações são: Industria alimentar; na produção de bolos, doces, sorvetes,chocolates e bebidas.


Possui  aplicação na indústria farmacêutica; em alguns medicamentos e também, na indústria cosmética em perfumes."


Etilvanilina:


A Etilvanilina é um derivado sintético da Vanilina, princípio aromático da Baunilha.

Como a orquídea que dão origem a vagem da baunilha depende de fatores simbióticos ou polinização artificial para a produção da vagem anteriormente dita, a baunilha se torna a segunda especiaria mais cara do mundo devido a dificuldade de produção industrial.


Por este fator, cientístas sintetizaram a Etilvanilina a partir da própria Vanilina extraída da planta.


A Etilvanilina tem o aroma mais forte, característico e penetrante que a Vanilina em sí, por este motivo entra em menor quantidade na formulação e diminuindo assim a necessidade da Vanilina.


Muitas empresas não utilizam por se tratar de um produto sintético, mas com o crescimento habitacional e do setor produtivo alimentício, a Etilvanilina vem sendo utilizada cada vez mais.
 Gostou dessa informação? Deixe seu like e comente o que você gostaria de saber!

Veja matéria completa no nosso blog


Atias Química Matriz

Rua da Consolação, 293 2º andar - Centro
CEP- 01301-000 São Paulo – SP

Central de Atendimento - (11)3122-3222

Acesse nosso site para saber mais – http://atias.com.br

0 comentários:

O que é o Goma Arábica?




Goma Arábica.

O que é o Goma Arábica?


Goma-arábica é uma resina natural composta por polissacarídeos e glicoproteínas que é extraída de duas espécies de acácia da região subsaariana, mais especificamente das espécies Acácia Senegal e Acácia Seyal.


É utilizada em diversas áreas como, alimentícia, farmacêutica, tintas, cola e outros:
Na área  de alimentícia : usada como espessante e estabilizante para vários alimentos. na manufatura de colas e como espessante de tintas de escrever.


A farmacêutica recorre à goma-arábica como espessante para xaropes e para confeccionar cápsulas e recobrimento de comprimidos, bem como meio aglomerante e dispersante de princípios ativos pulverulentos.


Utilizada como um ingrediente importante nas graxas e lustros utilizados para polir calçado, marroquinarias e outros artigos em couro e nas colas utilizadas em envelopes e selos, as quais podem ser lambidas sem risco.

É igualmente utilizada na indústria tabaqueira para colar papéis de cigarros e para engomar as folhas de tabaco utilizadas em charutos e composições semelhantes.



Para além do seu uso alimentar e como meio de dispersão em medicamentos, a goma-arábica é também utilizada em tintas e em diversas técnicas no campo da litografia e das artes visuais.


Na União Europeia, quando utilizado em alimentos rotulados com o Número E, recebe a designação E-414. No Brasil, existe uma proposta visando à substituição desta resina por outra produzida a partir do cajueiro.


Sendo uma mistura complexa de polissacarídeos e de glicoproteínas, a goma-arábica não tem uma composição constante, variando consoantes os lotes e as origens, o que dificulta o seu uso em situações em que se pretenda uma absoluta homogeneidade ou se pretenda obter sempre as mesmas características físico-químicas.


Por essas razões tem vindo a ser substituída por outros produtos, na sua maioria de síntese química, em muitos usos industriais em que a toxicidade não seja problema, particularmente na feitura de colas e tintas.

Contudo, por ser edível e barata, continua a ser o produto de eleição para usos agroindustriais e na indústria de confeitaria e de bebidas gaseificadas.

Constitui o principal ingrediente em pastilhas elásticas e guloseimas semelhantes e é o aditivo dominante na indústria das bebidas açucaradas, incluindo os sucos de frutos reconstituídos.

Gostou desse conteúdo? deixe seu like e comente suas dúvidas e sugestões!


Atias Química Matriz

Rua da Consolação, 293 2º andar - Centro
CEP- 01301-000 São Paulo – SP

Central de Atendimento - (11)3122-3222

Acesse nosso site para saber mais – http://atias.com.br




0 comentários:

Ácido Lático.





Ácido Lático.

O que é o ácido lático?


O ácido lático ou láctico (do latim: lactis = leite) é um composto orgânico de função mista ácido-álcool que participa de vários processos bioquímicos orgânicos. 

No organismo humano, o ácido lático resulta da metabolização celular da glicose, com fins energéticos. Por isso, habitualmente fala-se dele quando se fala da prática de exercícios físicos.

O ácido láctico pode ser obtido a partir do açúcar do leite (lactose), do amido, do açúcar da cana (sacarose) e é naturalmente encontrado no suco de carne, leite azedo, nos músculos e em alguns órgãos de algumas plantas ou animais.

Devido à sua propriedade acidulante, o ácido lático é bastante utilizado pela indústria alimentícia e de bebidas na produção de cerveja, carnes curadas, fermentos químicos, queijos não curados, coolers, iogurtes, sorvetes, maionese, bombons, recheios, picles, produtos marinados, sucos artificiais, refrigerantes e conservas vegetais. O ácido lático é também conhecido pela sua propriedade umectante, propiciando à pele uma maior retenção de água, por isso é tão utilizado na indústria de cosméticos; e além de hidratar a pele, também atua como rejuvenescedor e clareador. 

Na Medicina, usa-se o ácido lático como antisséptico, o que se deve ao seu poder de inibir o crescimento de microrganismos patogênicos; e também no tratamento de problemas de pele como dermatoses, acnes, verrugas, hiperqueratoses, rugas e outros, pois é capaz de promover a elasticidade das fibras. 

Outros processos como o curtimento de couro, refino de óleo de soja, a fabricação de polímeros (termoplásticos, transparentes e biodegradáveis) e o tingimentos de tecidos muito dependem da participação do ácido lático.

Gostou desse conteúdo? deixe seu like e comente suas dúvidas e sugestões!


Atias Química Matriz

Rua da Consolação, 293 2º andar - Centro
CEP- 01301-000 São Paulo – SP

Central de Atendimento - (11)3122-3222

Acesse nosso site para saber mais – http://atias.com.br




0 comentários:

Ácido Fosfórico.






Ácido Fosfórico.


O refrigerante à base de cola contém ácido fosfórico como acidulante.

Geralmente, o ácido fosfórico é encontrado na sua forma líquida viscosa, que é esse ácido misturado com água em cerca de 90% dele em massa. 
O H3PO4 pode ser produzido a partir do fósforo ou da apatita, mas o Brasil ainda não realiza a sua produção tendo o fósforo como matéria-prima.

Devido a isso, as empresas brasileiras que produzem compostos orgânicos do fósforo, como as farmacêuticas e de adubos, têm uma grande dependência de importações.
Entretanto, uma aplicação do ácido fosfórico que chama bastante atenção é em refrigerantes de base cola.  A maioria dos refrigerantes no Brasil possui alto teor de ácido fosfórico, ficando com um pH > 3.

Ele é utilizado principalmente como acidulante da bebida, abaixando seu pH, regulando sua doçura, realçando o paladar e também atuando como conservante.


 Curiosidade


Visto que o ácido fosfórico é utilizado na fabricação de materiais de limpeza, surgiu um mito de que os refrigerantes à base de cola podem desentupir pias.

Mas, isso não é verdade, o ácido fosfórico está presente numa proporção de 0,6 g para cada litro de refrigerante, o que é uma quantidade muito pequena.

Além disso, ele não faz mal para o nosso organismo, porque o ácido fosfórico é essencial para o funcionamento das células de nosso corpo, sendo indiferente de onde ele provém. 



Gostou desse conteúdo? deixe seu like e comente suas dúvidas e sugestões!



Atias Química Matriz

Rua da Consolação, 293 2º andar - Centro
CEP- 01301-000 São Paulo – SP

Central de Atendimento - (11)3122-3222

Acesse nosso site para saber mais – http://atias.com.br



0 comentários: